Curadora
Maria Amelia Bulhões
 

Crítica de arte, curadora independente e pesquisadora do CNPq. Atua no Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFRGS, é colunista no jornal Sul 21 e dirige o portal www.ig.art.br. Tem pós-doutorado nas Universidades de Paris I, Sorbonne e Politécnica de Valencia. Publicou recentemente o livro Web arte e Poéticas do território  e colabora regularmente com artigos em revistas nacionais e internacionais.

Nada sem utopia

A Bienal Internacional de Curitiba 2013 está inserida nos debates do “modelo Bienal” e busca novos caminhos. Com uma estrutura aberta e flexível, apresenta esta seção especial de web arte com curadoria de Maria Amelia Bulhões. São trabalhos criados com recursos on-line, a partir de programas específicos de composição de páginas na World Wide Web (www),  reunindo diferentes recursos multimídias, como sons, textos, gráficos, imagens fixas e em movimento e outros. Uma produção, ubíqua e em trânsito, que por sua diversidade, seu volume e suas diferentes tendências dificulta a seleção de uma amostragem. A curadoria optou por artistas que desenvolvem obras participativas, preocupados com questões sociais e com foco na experimentação, selecionando trabalhos que vão desde o surgimento destas práticas, na segunda metade dos anos 1990, até as tendências mais atuais

A conexão rizomática da rede, com seus fluxos permanentes, desafia os artistas a explorarem os limites do preestabelecido, com obras que promovem diálogos e se expandem pelo espaço globalizado, adotando posições colaborativas, acolhendo a vida cotidiana e comprometendo-se com novas funções da arte. São artistas que lidam com um real possível no mar virtual, fazendo dessa navegação uma aventura empreendida em conjunto que preserva o lugar do desejo e da utopia.