Paula Levine

New Haven, EUA, 1962. Vive em Vancouver, Canadá
Professora de Arte e Chefe do Conceptual Information Arts, San Francisco State University. Eventos/Exposições: 2012 L.A. Re.Play: An exhibit of mobile media art. Broad Art Center, UCLA; 2011 Iraqi Memorial-Commemorating Civilian Deaths; 2010 Barbara Hammer Collaborates with Other Women, Museum of Modern Art, NY. Residências artísticas: 2008 Co-Production Award, The Banff Centre, New Media Institute; Co-production Lab: Almost Perfect: Locative Media thematic residency (Peer Advisor), New Media Institute (Intra-Nations); 2002 Red Cinders, Creativity Center, Hawaii; 2000 Djerassi Resident Artist Program, Woodside, CA; 1992 Djerassi Artist Residence Program, Woodside, CA; 1988 Experimental Television Center, Owego, New York (collaboration with Barbara Hammer). Prêmios: 2010 Civic Engagement Grant, Buried Waters: Underground streams of San Francisco; 2007 Potrero Nueva Fund; 2002 Videomaker Production Award, Bay Area Video Coalition, SF, CA; 1996 Canada Council Research and Development Grant.


Shadows from another place 2004ABRIR
Este trabalho explora a noção de realidade da guerra nos tempos atuais. A artista mapeia, a partir de informações disponíveis na internet, a primeira noite da invasão de Bagdá pelos EUA, em 2003, espelhando-a sobre o mapa de San Francisco, nos EUA. É como se a invasão voltasse como um bumerangue para questionar o impacto do que aconteceu em outro local. O trabalho mostra uma série de mapas com minucioso detalhamento de armas e bombas em locais específicos, e uma série de informações políticas obtidas via GPS. Esse projeto amplia a visão das pessoas sobre o poder via dominação tecnológica. Funciona bem em PC, celular e tablet.

The wall - The World 2011ABRIR
Nesse trabalho a artista propõe ao internauta imaginar, em outras cidades do mundo, o impacto do muro de 15 milhas que está sendo construído entre Israel e a Cisjordânia. Com as ferramentas de navegação podem comparar as alterações que o muro impõe em qualquer cidade escolhida. Podem perceber como ele separa e restringe os acessos nos lugares onde muitos moradores trabalham, têm parentes ou vão para a escola. A tela é dividida, com a cidade escolhida no lado direito e a Cisjordânia à esquerda. Requer ter o Google Earth instalado.